Entre 1830 e 1930, em todos os cantos do Vale do Paraíba, só se via café. A produção da rubiácea se tornou lucrativa para o mercado de exportações, que andava fraco após as minas de ouro deixarem de ser rentáveis. Em meados do século 19, o café seria conhecido como ouro verde.

 

COMBUSTÍVEL

Conhecedores das propriedades do café, os donos de fábricas na Europa serviam a bebida como energético para que seus empregados enfrentassem jornadas de trabalho de até 16 horas.

 

GENTE RICA

O café “fez” os primeiros multimilionários de Taubaté, homens que se tornariam titulares do Império, emprestariam dinheiro para a Coroa e enviariam homens para guerra.

MÃO DE OBRA

Até 1888, os trabalhadores das lavouras cafeeiras eram quase todos escravos. No final do século, imigrantes, libertos e homens brancos pobres dividiam espaço nas fazendas – quase sempre em disputa.

 

VIDA URBANA

O modelo de administração das fazendas era diferente no período do café. O dono de terras não morava mais na zona rural. Na cidade, promovia saraus e bailes. Atraídos pela riqueza urbana, companhias dramáticas e circenses tornaram-se comuns. Em Taubaté, o Teatro São João foi financiado pelo dinheiro do café, assim como a imprensa, as linhas de bonde e a iluminação pública.

MAU NEGÓCIO

A riqueza produzida pelo café não seria eterna. O produto brasileiro encontrou dificuldades com a concorrência internacional e com as recessões econômicas internas. O modelo produtivo era ineficiente e as terras foram desfertilizadas.

 

CONVÊNIO

A situação fez com que São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais se unissem para sua própria proteção e para forçar o Governo Federal a arcar com os prejuízos dos cafeicultores, em um evento chamado Convênio de Taubaté. Surgiu, então, a chamada Política do Café com Leite.

FALÊNCIA

A assinatura do Convênio foi na Câmara de Taubaté, em evento organizado e financiado pelo

Cel. Marcondes de Mattos. Apesar do acordo ter dado contornos à política nacional, o projeto foi um fracasso, pois endividou o Estado. O seu sepultamento veio com a crise mundial de 1929, com a quebra da Bolsa de Nova Iorque.

 

Curta o Almanaque Urupês no FacebookYoutubeInstagram Twitter para acompanhar o nosso trabalho.