(imagem ilustrativa/ Thomas de Keyser)

 

Quem mandava aqui?

Mariana de Sousa Guerra: esse era o nome da dona de Taubaté. Era neta de Martim Afonso de Souza, que foi o governador da Índia e do Brasil, e filha de Pero Lopes de Sousa, de quem herdou a Capitania de São Vicente. Tinha o pomposo título de Condessa de Vimieiro.

 

Uma nova capitania

Por volta de 1620, a Capitania de São Vicente foi dividida. Foi quando a Condessa de Vimieiro tornou a vila de Itanhaém, na baixada Santista, a sede da nova capitania, com o nome, portanto, de Capitania de Itanhaém, que se estendia do Rio Juqueriquerê, em São Sebastião, até Angra dos Reis, no Rio de Janeiro.

 

Garanta o que é meu

A região de Taubaté já tinha esse nome bem antes da chegada de Jacques Felix e fazia parte da recém criada Capitania de Itanhaém. Em 1636, o capitão-mor Francisco da Rocha recebeu a ordem de garantir as posses de Taubaté. Ele, por sua vez, passou a tarefa para Jacques Felix. Foi em nome da Condessa de Vimeiro que o bandeirante começou a construção do novo povoado, entre 1639 e 1640.

 

O Fundador de Taubaté

Nome: Jacques Felix

Origem: Países Baixos

Nascimento: 1576

Profissão: Bandeirante

Filhos: 3 – Capitão Belchior Félix, Jacques Felix, o Moço e Catarina Dias Felix

Morte: entre 1651 e 1658

Jacques Felix já conhecia a região. Antes de receber a missão de formar Taubaté possuía uma fazenda na região entre Tremembé e Pinda. É o patriarca da primeira família que se instalou no Vale do Paraíba. Foi ele que aprisionou os primeiros índios e trouxe os primeiros escravos africanos para região.
Foi também o primeiro chefe do executivo taubateano, com poder civil, militar e criminal. É considerado o primeiro arquiteto de Taubaté.

 

Como povoar?
Criar uma cidade não era tarefa fácil. Jacques Felix levou três anos para arregimentar pessoas corajosas para virem para Taubaté. Precisava de um lugar seguro, com recursos básicos e possibilidade de enriquecimento.

 

Referências:

Aspectos Geográficos do Vale do Paraíba e Município de Taubaté de José Benedito Prado e Maria Morgado de Abreu, 1995

História de Taubaté através dos textos, Antônio Carlos de Argôllo Andrade e Maria Morgado de Abreu, Coleção Taubateana, 1996

História da Capitania de São Vicente, Pedro Taques, São Paulo, 1772

Jacques Félix – achegas à História de Taubaté, Felix Guisard, Athena Editora, 1938

São Francisco das Chagas de Taubaté – livro 1 e 2, José Bernardo Ortiz, 1996

Taubaté, de núcleo irradiador do bandeirismo a centro industrial e universitário do Vale do Paraíba, Maria Morgado de Abreu Santuário, 1991

Taubaté nos primeiros tempos, Maria Thereza Marcondes, Model, 1976

 

Curta o Almanaque Urupês no FacebookYoutubeInstagram Twitter para acompanhar o nosso trabalho.